Mensagens

 

AS ONZE LUZES DO PORTAL

 

Chega-nos do Oriente precioso ensinamento  sobre  solidariedade humana e o amor ao próximo.

         Sensível monge consumia suas horas dedicadas à assistência a uma comunidade de  idosos aos quais dava  atenção espiritual e afetiva, paralelamente a um trabalho de manutenção de uma horta comunitária, da qual tirava grande parte do sustento  dos velhinhos desamparados.

         O coração do monge transbordava de alegria ao sentir como aquela comunidade vivia feliz, tecendo loas ao Pai Eterno por encontrarem naquela alma pura e dedicada o apoio amoroso nos últimos dias da vida.

         Certo dia, o monge recebe inesperada visita do Anjo da Morte ao anunciar o fim de suas atividades na comunidade  e a partida para o plano superior da vida.

         O monge, constrangido,  encara seu oponente e pondera:

- Anjo amigo, considera a situação em que estou. Se deixar estes velhinhos, que será deles? Quem fará por eles o que estou fazendo? Poderia contar com a interferência do amigo junto aos benfeitores espirituais  para que prorroguem minha partida? O anjo entendeu a condição do monge, tornou as costas e foi-se.

         Decorrido algum tempo, novamente o anjo da morte surgiu ao abnegado monge e anuncia-lhe a hora da volta.

         O monge agora cuidava de um orfanato de crianças desamparadas  às quais dedicava todas as suas horas em tempo integral.

- Anjo bom, como posso  deixar minhas crianças, pensando apenas em mim e na minha vida, deixando ao desamparo tantas almas irmãs que dependem de mim? Não gostaria e ver prevalecer o egoísmo no meu regresso à vida espiritual.

O anjo, pela segunda vez, entendeu o argumento do monge, e  partiu de volta.

Muito tempo se passou e pareceu mesmo que o anjo se esquecera do velho monge,  até que, finalmente,...

- Meu querido monge, volto em missão de conduzi-lo à pátria  espiritual. Seu projeto reencarnatório já expirou.

- Anjo do coração, posso dizer que já sentia falta de sua presença. Imaginei que houvesse esquecido de mim.  Confesso que sinto meu corpo esgotado  e aspiro a outras paragens do jardim  celestial, onde o fardo da matéria corpórea não me seja  tão extenuante. O anjo da morte, solícito, responde-lhe:

- Nos céus, um  cortejo de anjos te saúdam, entoando cânticos de louvores ao teu retorno  aos planos superiores da pátria espiritual.

 

         Por que deixar no vazio das horas a tão preciosa oportunidade que temos de aprender?  Assim se  interrogou um grupo de senhoras residentes na Morada da Colina que procedeu     a uma busca de aprendizagem através de reuniões semanais em casa de cada uma delas, de modo rotativo.O objetivo seria estudar o Evangelho de Jesus, à luz do Espiritismo.  A primeira grande conquista a movê-las  foi a HUMILDADE. É que nada se faz  como projeto de conquistas superiores senão a partir da consciência  de que quase nada se sabe,

Assim agiram durante um ano todo, findo o qual, um novo caminho temático  descortinou-se ao grupo: a CARIDADE. Num segundo ano de vida, as senhoras continuaram sua proposta de trabalho, inflamadas cada vez mais pelas energias carreadas  das fontes superiores das esferas espirituais.

O tempo passava, o entusiasmo crescia,  o trabalho robustecia-se através do estudo, da instrução e da ação prática.

E assim seguia o grupo de senhoras a receber do Alto a orientação necessária para continuar suas atividades, fazendo crescer dentro de si as maravilhas do Evangelho Crístico, semeando  os ensinamentos do Grande Enviado às criaturas carentes daquela comunidade.

Mais um ano se passou, o terceiro, e uma nova luz  resplandece  no coração das abnegadas senhoras: abre-se o espaço para o estudo de uma nova temática: O AMOR.

Que sentimento maravilhoso esse que Jesus deixou como legado a todos os que se motivassem ao encalço do progresso  e da transformação moral. É ele que une todas as criaturas em torno de  um ideal comum: a busca da perfeição no porvir da humanidade. As nossas irmãs reuniam-se em nome do Cristo, sob a égide dos benfeitores espirituais  e, de coração aberto, espalhavam por todos os cantos, vibrações de harmonia, paz e união entre todas as criaturas.

A cada ano que se passava novas experiências eram vivenciadas   ante novos assuntos ou novas temáticas estudadas.

Palpitavam na mente das operárias do Evangelho  discussões/estudos emocionantes sobre  INDULGÊNCIA, PERDÃO, ABNEGAÇÃO, ASSISTÊNCIA SOCIAL, EVANGELIZAÇÃO INFANTIL, FLUIDO TERAPIA e outros tantos de inegável importância no conhecimento doutrinário kardecista.

Decorridas onze calendas, não mais reuniões em locais diferenciados.  Agora, na  rua das  Palmas, edificou-se um novo ponto de encontro dos servidores de Jesus, dos estudiosos e evangelizadores  da Doutrina Espírita.

Todas as luzes convergem para o Portal  que não é somente o da Luz, mas o Portal do Amor, o Portal da Paz, o Portal da Caridade, o Portal de Jesus, o Portal do Pai Eterno.

 

Fernando Marson


 

 

 

Mensagem de Bezerra de Menezes

 

Mensagem de Bezerra de Menezes na Psicofonia de Divaldo Pereira Franco, no no dia 18/04/2010,encerramento do 3º Congresso Espírita Brasileiro em Brasília/DF:

 

“Estamos agora em um novo período. Estes dias assinalam uma data muito especial, a data da mudança do mundo de provas e expiações para mundo de regeneração. A grande noite que se abatia sobre a terra lentamente cede lugar ao amanhecer de bênçãos. Retroceder não mais é possível.

Firmastes, filhas e filhos da alma, um compromisso com Jesus antes de mergulhares na indumentária carnal, de servi-lo com abnegação e devotamento. Prometestes que lhe serias fiel, mesmo que vos fosse exigido o sacrifício.

Alargando-se os horizontes deste amanhecer que viaja para a plenitude do dia, exultemos juntos, os Espíritos desencarnados e vós outros que transitais pelo mundo de sombras; mas além do júbilo que a todos nos domina, tenhamos em mente as graves responsabilidades que nos exortam a existência no corpo ou fora dele.

Deveremos reviver os dias inolvidáveis da época do martírio nosso, seremos convidados não somente ao aplauso, ao entusiasmo, ao júbilo, mas também ao testemunho, o testemunho silencioso nas paisagens internas da alma, o testemunho por amor àqueles que não nos amam, o testemunho de abnegação no sentido de ajudar aqueles ainda se comprazem em gerar dificuldades tentando inutilmente obstaculizar a marcha do progresso.

Iniciada a grande transição, chegaremos ao clímax e na razão direta em que o planeta experimenta as suas mudanças físicas, geológicas, as mudanças morais serão inadiáveis.

Que sejamos nós aqueles Espíritos Espíritas que demonstremos a grandeza do amor de Jesus em nossas vidas; que outros reclamem, que outros se queixem, que outros debatam, que nós outros guardemos, nos refolhos da alma, o compromisso de amar e amar sempre, trazendo Jesus de volta com toda a pujança daqueles dias que vão longe e que estão muito perto.

Jesus, filhas e filhos queridos, espera por nós, que seja o nosso escudo o Amor, as nossas ferramentas o Amor, e a nossa vida um Hino de Amor, são os votos que formulamos os Espíritos Espíritas aqui presentes e que me sugeriram representá-los diante de vós.

Com muito carinho o servidor humílimo e paternal de sempre, Bezerra.

Muita paz filhas e filhos do coração.”

 


 
Algumas Definições

 

Benfeitor - é o que ajuda e passa.

Amigo - é o que ampara em silêncio.

Companheiro - é o que colabora sem constranger.

Renovador - é o que se renova para o bem.

Forte - é o que sabe esperar no trabalho pacífico.

Esclarecido - é o que se conhece.

Corajoso - é o que nada teme de si mesmo.

Defensor - é o que coopera sem perturbar.

Eficiente - é o que age em benefício de todos.

Vencedor - é o que vence a si mesmo.

 

Francisco Cândido Xavier . Da obra: Agenda Cristã.

Ditado pelo Espírito André Luiz.

 

 

Portal da Luz

Fernando Marson

Há dez anos, raios de luz romperam as sombras do progressista Triângulo. Rasgaram as inquietantes trevas e anunciaram a boa nova nos rincões de Minas. Nascia mais um filho da esperança. As vozes dos anjos ecoaram uníssonas nas alturas celestiais e anunciaram o despontar no Portal do Cerrado de mais um filho da Luz. Era mais um núcleo de estudo e difusão do Evangelho de Jesus; mais um berço da caridade tal qual acontecera na distante época do Nazareno, por iniciativa de Pedro e seus liderados, mais uma Casa do Caminho. Nascia o PORTAL DA LUZ.

Da vertente espiritual, criaturas de boa-vontade atenderem à convocação das siderais alturas e responderam com a alma e o coração ao clamor dos humildes peregrinos da Terra, carentes de amor e compreensão das leis da vida.

Raios de esperança dardejaram os recônditos espaços do Jardim da Colina e um novo sol sorria brilhante sobre os caminhos das almas, contidas na pesada vestimenta da carne, e anunciaram novos horizontes na caminhada libertadora de encarnados e desencarnados, jungidos ainda a compromissos inferiores herdados de priscas épocas na história de cada existência.

Na escola da vida, um novo centro educativo erguia-se com o objetivo transformador. O compromisso do ensino e da aprendizagem precedia todos os projetos; operários de variada formação dispunham-se ao trabalho na bendita seara do Pai. Tomaram da charrua e regendo as disciplinas do amor e da caridade, sustentados pelo evangelho da humildade, ei-los vibrantes, de braços com a nova empreitada. Viver é preciso, aprender ainda mais; crescer, imprescindível; transformar, imperioso; amor, o carro-chefe; caridade, a meta superior.

Os humildes discípulos da Suprema Luz receberam pela sublime intuição mensagem nobilitante: o grupo de trabalhadores necessitava de um líder experiente, um espírito de escol que assumisse a direção espiritual da neófita organização terrena e intermeditasse os projetos nascentes para o triunfo gratificante dos seus elevados objetivos. Convocou-se um Espírito familiar das Terras do Triângulo, de exemplar dedicação à causa do próximo nas plagas de Sacramento. O fraterno companheiro não se fez de rogado. Abriu os braços, sorriu, meneou a cabeça afirmativamente e deixou registrado nos anais espirituais da vida do Portal da Luz a sua insigne colaboração como iluminado preceptor das ações dos trabalhadores e dirigentes materiais desta Casa de Oração. Ergueu-se o templo material à rua das Palmas, nº 21 – Cidade Jardim. Local adrede construído para reuniões mediúnicas, sessões de estudos, reuniões públicas, evangelização e ações benemerentes, com atividades programadas em todos os dias da semana, inclusive aos domingos, em cujas as manhãs são celebradas reuniões públicas com estudo do Evangelho, passes, e confraternização, através de alegre café, chá e quitutes oferecidos pela própria irmandade ali presente.

Desde então, a Cidade Jardim ornamentou-se ainda mais. As flores desabrocharam mais vivas, as luzes se intensificaram nos arredores da humilde Casa de Kardec e os eflúvios do Cristo jamais cessaram de jorrar sob forma de bênçãos a todos os que ali se reúnem para glorificar a vida e render graças ao Pai Eterno, pela ventura de poder sentir materializado o esforço do trabalho, orientado para o progresso das almas congregadas num templo a todos aberto, e consagrado aos dez anos, como Portal da Luz Divina.